Responsive image

Verso e prosa: a literatura e seus reflexos

Por: Adonay Moreira
Formado em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão e autor de cinco livros, entre poesia e prosa: Sentimentos (poesia/2011), Poemas (poesia/2012), O Livro dos Poemas Invisíveis (poesia/2015), O Labirinto (prosa/2015) e Sobre Luzes e Sombras (poesia/2017). Foi ganhador, em 2013, do 35º Concurso Literário Cidade de São Luís, com a novela O Labirinto. Atualmente, é mestrando do Programa de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (PGCULT) da UFMA.


Últimas postagens

A disciplina do olhar

Reprodução Auguste Rodin foi apresentado ao mundo alemão pelas habilidosas mãos de Georg Simmel, que, em uma exposição em Praga, durante uma viagem no verão de 1902, ficara maravilhado pelas esculturas do mestre francês. Até então, Rodin não passava de um célebre desconhecido entre os germânicos, e seu nome, que depois haveria de assombrar e encantar o mundo, não despertava na alma dos bons...
Continuar lendo
Data:12/07/2020 08:58

Jonas, o pintor

Reprodução Gilbert Jonas nem de longe é o mais célebre personagem da obra de Albert Camus. Diante de criações extraordinárias como Bernard Rieux, de “A Peste”, Meursault, de “O Estrangeiro” e Clamence, de “A Queda”, o pobre Jonas é tão somente um triste e obscuro fantoche, condenado a viver eternamente entre as frias páginas de um livro, entre as quais não pode ver senão...
Continuar lendo
Data:28/06/2020 09:19

Uma lição de Borges

Jorge Luís Borges Borges é um desses autores cuja fama atingiu tal patamar que chega, por vezes, a prescindir de sua obra. Não é incomum notar que muitos dos que sobre ele falam com um ardor de fato apaixonante nos dão a sensação incômoda de que não conhecem, sequer, uma única linha da sua tão fantástica e prodigiosa obra. Talvez o mito e a lenda sejam um destino comum de todo grande artista, como o foi para...
Continuar lendo
Data:14/06/2020 12:33

Um elogio do amor

Ilustrativa A ideia de que o amor verdadeiro existe e de que ele é, por si mesmo, um bem que deve ser incansavelmente buscado, redimindo tanto o amante quanto o amado de todas as fraquezas que possam porventura conter e os elevando ao centro de sua própria existência e personalidade, parece ser hoje uma crença inútil e arcaica, digna de pouco crédito e arremessada ao porão das vãs ideias, nas quais não se deve insistir. Como...
Continuar lendo
Data:12/06/2020 08:16


< Anterior Próxima >
Página 1 de 1

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: