INQUÉRITO INSTAURADO

PM's envolvidos em abordagem truculenta no município de Rosário são identificados; novo vídeo mostra populares socorrendo homem baleado

Paulo Vitor da Conceição Gonçalves, que comandava a ação, e Leandro Siqueira estão há cinco anos na polícia, o terceiro é Tiago Régis Machado que faz parte da equipe apenas há dois anos.
Por: PORTAL JG COM G1MA
Data de publicação: 02/12/2020 15h49

Já estão fora das ruas os três policiais envolvidos na ocorrência de uma denúncia de perturbação do sossego, no município de Rosário, a 70 km de São Luís. O nome dos soldados envolvidos na abordagem truculenta foram divulgados pelo comando da PM.

Um deles é o cabo Paulo Vitor da Conceição Gonçalves, que comandava a ação e estava há cinco anos na polícia, o segundo policial é Leandro Siqueira, este entrou na polícia também há cinco anos e Tiago Régis Machado, faz parte da equipe apenas há dois anos.

Segundo a polícia, pelas imagens da câmera de segurança do local, não é possível saber se houve alguma discussão, mas, aparentemente, sem qualquer reação agressiva das pessoas, o cabo Paulo Vitor, dá um soco em Emanuel Santos, de 25 anos, que recebe em seguida um tapa de um dos soldados.

Em seguida, uma sequência de novas agressões começa. Um dos soldados chuta a mesa e empurra o homem que cai sobre outras pessoas, que continuam sem reagir, mas os policiais seguem com as truculências.

Leia Também

Vídeo: PM's são flagrados agredindo pessoas que participavam de aniversário em Rosário; Flávio Dino determinou afastamento dos policiais

Vídeo: Comando da Polícia Militar pede desculpa a sociedade maranhense por abordagem truculenta em Rosário

Logo após, Cláudio José Sales, de 37 anos, pega o celular para filmar e é atingido por uma bala de borracha na perna, atirada pelo cabo Vitor. Cláudio foi encaminhado para o Hospital de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura -Socorrão II de São Luís e passa bem.

“Existe padrões de procedimento e técnicas apropriadas para a utilização de uma arma não letal e pelas imagens não foi uma situação própria para a aplicabilidade da arma’’, diz o comandante geral da Polícia Militar, Pedro Ribeiro.

Vítima de abordagem truculenta em Rosário mostra vídeo feito antes de levar tiro

Dois vídeos divulgados por Cláudio Rodrigues Sales, de 37 anos, atingido com um tiro de bala de borracha por policiais militares na cidade de Rosário, a 70 km da capital São Luís, mostram instantes antes e depois da abordagem truculenta na porta de uma festa de aniversário. O vídeo mostra, inclusive, o vídeo que Cláudio gravava segundos antes de ser atingido.

A irmã da vítima, Helma Sales, disse que o irmão foi atendido e está se recuperando. "Ele está em casa, está bem e não corre risco de vida. Está se recuperando e, graças a Deus, está bem", disse ela.

Em nome da família, Helma esclarece, ainda, que não estão sendo ameaçados por policiais, mas confirma que foi tratada com ironia ao denunciar o caso no Comando da Polícia Militar de Rosário. "Eu queria esclarecer que na delegacia eu fui muito bem atendida. Eu gravei um vídeo de repúdio e de total indignação sobre o Comando da Polícia Militar aqui na minha cidade. Lá eu não fui bem recebida e fui tratada com ironia", disse Helma.

O comando da Polícia Militar recebeu nessa terça-feira (1) em São Luís, as vítimas da ação policial em Rosário. Na ocasião, as pessoas envolvidas no caso, realizaram exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). A polícia já abriu inquérito com intuito de apurar a conduta dos militares.

Nota divulgada pela PM

''A Polícia Militar do Maranhão (PMMA) esclarece que afastou os policiais envolvidos na ocorrência em uma lanchonete na madrugada deste domingo (29), na cidade de Rosário. O comando do 20º BPM, sediado no município, já instaurou o inquérito policial que irá apurar as circunstâncias do fato.

Todos os procedimentos administrativos cabíveis acerca da conduta dos PMs vão ser adotados pela Corregedoria da corporação, bem como, serão reforçadas as medidas de prevenção e repressão às ações desta natureza, contrárias aos fundamentos do estado democrático de direito.

O Comando Geral da PM ressalta que não compactua ou legitima condutas cujas ações não coadunam com os princípios profissionais e éticos que orientam as atividades da corporação.''





mais notícias


Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: