EMBRIAGUEZ AO VOLANTE

Instrutor de autoescola que atropelou e matou criança é preso

Populares estavam ameaçando linchar o acusado. Ele foi conduzido à Delegacia Regional de Pinheiro, sem lesões corporais, para que que fosse adotada as providência cabíveis.
Data de publicação: 15/04/2019 11h06
Atualizado: 15/04/2019 11h41

Natanaelson estava com sintomas de embriaguez

O instrutor de autoescola identificado como Natanaelson Diniz Pinheiro, de 28 anos, foi preso no último sábado (13) pela Polícia Militar acusado de ter atropelado Alexandry Neto Reis da Silva, de apenas 4 anos, na cidade de São Bento, a 128 km de São Luís. A criança não resistiu a força do impacto e morreu.

O crime aconteceu na Rua Newton Bello, próximo à Rodoviária, no bairro Aeroporto, quando Natanaelson perdeu o controle do veículo, subiu a calçada e atropelou o menino, que morreu a caminho do hospital. Ao ser abordado pela PM, constatou-se que Natanaelson apresentava sintomas de embriaguez.

Populares estavam ameaçando linchar o acusado. Ele foi conduzido à Delegacia Regional de Pinheiro, sem lesões corporais, para que que fosse adotada as providência cabíveis.

Desde abril de 2018, com mudanças no CPB, motoristas bêbados enquadrados na lei de trânsito por homicídio culposo (sem intenção de matar) poderão ser condenados à pena de 5 a 8 anos de prisão, além de ter o direito de dirigir suspenso ou proibido.

Antes, a pena por causar acidente com morte era de 2 a 4 anos, o que permitia que o delegado responsável pelo flagrante estipulasse uma fiança, que poderia liberar o motorista imediatamente.

Com a elevação da pena, o delegado não pode mais determinar a fiança porque a lei permite isso apenas em crimes com pena máxima de 4 anos.

mais notícias


Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: