Fernando Cutrim prestigia 9º festival do babaçu

A programação contou com apresentações culturais e shows.
Data de publicação: 06/02/2019 16h56
Atualizado: 07/02/2019 12h04

Fernando Cutrim (último á direita) com amigos de Pirapemas no 9º festival do babaçu

O pré-candidato a prefeito de Pirapemas, Fernando Cutrim, prestigou no último sábado (2) o 9º festival do babaçu. A festa é promovida pela ex-candidata a vereadora, Maria das Dasdores de Sousa Santos, popularmente conhecida por Companheira Dasdores.

Leia Também

Fernando Cutrim faz visita de cortesia a Companheira Dasdores que declara apoio ao governo de Dr.Iomar

Companheira Dasdores e Fernando Cutrim

O festival do babaçu é um momento de confraternização entre as famílias que ainda sobrevivem desta renda, serve ainda para sensibilizar as pessoas da importância de preservar as palmeiras de babaçu e reivindicar melhores condições de trabalho para as quebradeiras de coco. 

A programação do 9º festival contou com apresentações culturais e shows.

Quebradeiras de coco babaçu

Entre a Caatinga e o Cerrado, nos estados do Maranhão, Piauí, Tocantins e Pará, vivem as mulheres quebradeiras de coco babaçu. Elas somam mais de 300 mil mulheres trabalhadoras rurais que vivem em função do extrativismo do babaçu, uma das mais importantes palmeiras brasileiras.

A luta das quebradeiras começou no Maranhão, na região do Médio Mearim, onde famílias das comunidades Centrinho do Acrízio, Ludovico e São Manoel, no município de Lago do Junco, conquistaram, após um longo processo de luta, áreas para morar e produzir. A região havia sido povoada no passado por posseiros, descendentes de escravos e indígenas.

Até os dias atuais, as quebradeiras fazem mobilizações para garantir o debate sobre alternativas de desenvolvimento para as regiões onde existe o babaçu. O movimento é predominantemente das mulheres, e por isso reserva aos homens um espaço somente nas danças e celebrações religiosas.

Da árvore do babaçu, as mulheres extraem o seu sustento. Transformam as palhas das folhas em cestos, a casca do coco em carvão e a castanha em azeite e sabão. Organizadas, criaram cooperativas para produção e comercialização de seus produtos, como farinha, azeite, sabonete e outros derivados do babaçu.

mais notícias


Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: